sexta-feira, 13 de maio de 2011

Fala de Ruben Alves

 O educador, teólogo, psicanalista, escritor e mineiro Ruben Alves, que na edição anterior foi patrono da Feira do Livro em Poços de Caldas, este ano retorna à cidade para novamente maravilhar seus leitores. No dia 6 de maio, o teatro da Urca em sua capacidade máxima homenageou o escritor através da coreografia de alunas que fazem parte do grupo A Voz do Silêncio(três delas deficientes auditivas) sob o som da música Velha Infância e Trio Vocal composto por alunas da Escola Estadual Parque das Nações, que interpretaram as belíssimas músicas gospel: Acredite(Jamili) e Fiel a mim(Eyshila).
O tema da fala de Ruben foi O tempo e a eterna idade, título de um de seus livros e para adentrar no assunto, o escritor aproveitou o gancho criado pela apresentação do grupo A voz do Silêncio para dizer que também é um deficiente auditivo, o tempo  deixou-o assim, não usa aparelho por desconforto. É deficiente visual, usa óculos e uma lupa para procurar palavras no dicionário e ao ver a agilidade dos movimentos coreográficos, das meninas, também concluiu que tem deficiência de pernas. Como suas pernas doem para fazer movimentos comuns aos jovens... a idade trás o tempo das bengalas.
Após ilustrar sua fala ao contar algumas de suas histórias escritas como os Gato que gostava de cenoura, o Patinho que não aprendeu a voar, A menina e o pássaro encantado, Pinóquio às avessas, sua versão para Os três porquinhos e outras vividas, concluiu que o belo vive dentro de nós. A partir do momento que nascemos vamos perdendo dentro de nós mesmos essa beleza, mas ao encontrar com outras coisas belas que existem exteriormente como a arte, por exemplo, algo vibra lá dentro do nosso interior.  A esse vibrar chamamos emoção. A nossa vida é uma busca pela beleza perdida.
Para ele a velhice é o preparar para a despedida. Não deixamos de prestar atenção nas coisas por falta de memória, mas por que nossos olhos procuram outras coisas e nós vamos distanciando nos de tudo. Aliás, contou que numa entrevista que participou o entrevistador  perguntou o porquê de as crianças serem mais inteligentes que os adultos. Na hora, confessou ele, “fiquei sem resposta, mas ela é muito simples, é que as crianças ainda não frequentaram a escola... não estou culpando os professores” concertou.
Quanto á adolescência e juventude o conselho que deu foi este: não adianta ficar falando muito na cabeça dos filhos nem ser bravo, o que os pais  têm a fazer é ficarem por perto para catar os cacos quando o desastre acontecer. Por isso escreveu  O patinho que não aprendeu a voar para comunicar com seu filho, de outra forma, a única que talvez ele lhe desse ouvidos: a literatura. Se o adulto ficar dando conselhos apenas, irão formar adultos quadrados apenas, pois é com a passagem do tempo que cada um de nós vai se encontrar, contudo, às  vezes, não nos encontramos. O jeito que eu tenho para ensinar algo aos jovens é a literatura, afirmou Ruben Alves que foi ovacionado pela platéia.

 Áudio completo da palestra: http://www.4shared.com/audio/hXnPJncq/Ruben_Alves_audio.html




conversa com Ruben Alves momentos antes da entrevist pela EPTV








ele parece ter ficado bravo quando perguntei por que ele deixou de ser pastor...


Minutos antes da palestra no Teatro da Urca


Ruben prestes a exigir um selinho da Gisele da GSC Eventos


homenagem de A Voz do Silêncio






Vocal composto por alunas da Escola Estadual Parque das Nações, que interpretaram as belíssimas músicas gospel: Acredite(Jamili) e Fiel a mim(Eyshila).




Ruben Alves assintindo nós entrevistarmos o Ariano Suassuna no Hotel Minas Gerais






Entrevista concedida por Ruben Alves

Por que à medida que crescemos deixamos de amar sem restrições?
Eu não sei deixamos de amar sem restrições ou se acende dentro de nós o desconfiômetro, porque os apaixonados(falo de experiência própria, sou muito apaixonado) e quando estamos assim, somos dominados por uma idiotisse de que toda a paixão é eterna, mas não é, pois na verdade não estamos amando a pessoa, estamos amando uma fantasia que fazemos da pessoa. Quando crescemos vamos separando a pessoa da fantasia, a fantasia a gente continua com ela, mas a pessoa não, então saímos à procura de outra pessoa que se pareça mais com nossas fantasias.
 Já que estamos falando de amor vou citar um versinho de Fernando Pessoa: “Quando te vi amei-te já muito antes./Tornei a achar-te quando te encontrei.” É a mesma coisa que falei para vocês na palestra, a pessoa amada já estava dentro de mim, mas havia perdido, mas ao ver, tornei a amar.

Todos nós que somos pais e educadores ficamos perplexos ao ver como os jovens desperdiçam o tempo que é uma preciosidade e por isso são carentes, desestimulados, não sabem lutar por seus sonhos, se é que tais sonhos ainda existam. Como agir a esse desafio? Quais sugestões?
Eu lamento muito. Reconheço o problema que muitos enfrentam, mas eu não sei o que fazer, porque eu não soube nem o que  fazer com meus filhos. O Taoísmo é uma filosofia oriental de grande sabedoria e tem como um dos  seus princípios centrais o Wu Wei:  não-ação. Este conceito é o não fazer nada, não agir¹. Um exemplo é o voo do urubu , urubu bate asa? Raramente, eu acho fantástico o voo do urubu, ele abre as asas deixando –se levar pelo vento, ele não pode soprar o vento, mas fica pairando nas nuvens com suas asas abertas. Eu acho que lidar com os filhos é assim, não adianta nada ficar bravo, gritar, ser um velho quadrado. Não adianta dar conselhos aos filhos. Eles não ouvem, é com a passagem do tempo que eles se encontram, por vezes. Por vezes eles não se encontram. Eu não sei o que fazer. O jeito que eu tenho de ajudar as crianças é com a literatura. Os jovens gostam muito do que escrevo, pois eu uso metáforas, imagens, histórias e eu escrevo curtinho. Os professores têm a mania terrível de fichamento, que é uma violência insuportável e outra coisa que até hoje ninguém me  explicou é para que serve a análise sintática. Ficam perdendo tempo com coisas que não são importantes na escola e não dá tempo de ensinar o que é preciso. Por isso escrevo curtinho, se derem um  livro de 150 páginas para um adolescente que nunca leu, ele nunca vai ler.
Quando morei nos EUA, eu fui numa casa e fiquei assombrado com o papel higiênico que eles usavam. Em cada folha do papel higiênico vinham escritas frases filosóficas, eu queria sugerir isso para as fábricas de papel higiênico: use papel higiênico tal, que faz você inteligente, pois, às vezes, é o mínimo esforço o que desperta. Não é pelo muito falar que serei ouvidos, isso foi Jesus que falou, então falar pouquinho, ou não falar nada. Ficar só olhando. Fazer nada: Essa é a filosofia do urubu.

Existe na biblioteca do Vaticano, no teto, uma pintura que mostra a biblioteca de Alexandria. De um lado está Platão com seus discípulos olhando para o céu, de outro lado está Aristóteles olhando para o chão. Hoje vivemos um momento em que a humanidade olha muito para o chão e a gente tem de olhar um pouco para o céu, mas como fazer isso sem usar  a fórmula gasta que já está ultrapassada, como buscamos a fórmula nova sempre foi dita e que não aprendemos, como fazer isso?
Acho que não existe nenhuma receita, se eu respondesse sua pergunta eu admitiria que saberia a resposta. Há  uma  Parábola  de Jesus que diz que o semeador saiu a semear, algumas sementes caíram nas pedras, outras na terra seca, mas algumas caíram na terra fértil e deram muito fruto. Acho que essa parábola se aplica a nós. Nós vamos jogando as sementes na esperança, na esperança(reforçou) que algumas germinem. Não há receita.

 O senhor como poeta acredita que dentro de um coração de um adulto existe uma criança e acha que ela pode reviver um dia?
Existe nessa fala um romantismo, é isso que vamos encontrar nos filósofos mais inteligentes. Um deles e Nietzsche, que viveu no século XVI, que dizia que a única coisa que Deus faz é brincar. Nós éramos crianças enquanto sabíamos brincar  e perdemos o paraíso quando começamos a ficar sérios. Dizia que atingimos o maior grau de  nosso desenvolvimento quando adquirimos o grau de seriedade que as crianças têm ao brincar. A mesma coisa com Grout, um dos pais da psicanálise. Ele diz que  a tarefa do intelectual é ensinar pelas suas piadas e provocar riso pelos seus pensamentos. Fernando pessoa diz que quando tirarem todas as suas máscaras só vai sobrar uma criança, durante a vida inteira só foi uma criança a brincar, vemos isso em Alberto Caeiro. Acho que tenho um espírito de moleque de criança, gosto de brincar, mas tenho um lado adulto que não me deixa brincar direito. As escolas não cuidam de dar... uma educadora que morava numa cidade do  interior de São Paulo, tinha três filhos, mais ou menos da mesma idade. Foi visitar as escolas para saber em qual delas matricular os filhos. Quando chegava nas escolas todas eram a mesma coisa, recebiam-na e iam mostrar as coisas fantásticas da escola,  a quadra poliesportiva, os laboratórios e voltavam para a sala à espera da sua reação. Ela dizia que estava impressionada com a qualidade da escola, mas estava preocupada com duas coisas:  a vida hoje é muito feroz principalmente por causa do mercado de trabalho e gostaria de saber se a escola está preparando as crianças. A diretora então respondia que ali apertavam as crianças ao máximo para que elas possam vencer essa competição. Outra pergunta da mãe era se as crianças iam à escola só em um período o que as crianças fariam no outro período? A diretora respondia que elas recebiam tanto dever de casa que passam o período inteiro trabalhando. A educadora então dizia que era contra apertarem as crianças. No tempo livre acho que elas deveriam brincar. Então foi procurando em todas as escolas, até numa cidadezinha encontrar uma escola de quinta categoria, cujo diretor se preocupava com apenas duas coisas: que os alunos aprendessem  a ler e a escrever. A mãe matriculou os filhos na escola desse diretor.
A coisa mais importante é aprender a ler e escrever, porque a besteirada que se ensina ou que tentam ensinar na escola hoje é uma coisa a assombrosa, eu não sei por que os professores não fazem uma greve, não é possível, não é possível(insistiu) se ensinar  análise  sintática com tanta coisa importante para ser feito. Como coisas da casa da gente. O fato é o seguinte: saímos da escola onde estudamos física, química, o diabo a quatro, mas não aprendemos a resolver os problemas da casa da gente

Quando você está escrevendo de onde vêm suas inspirações?
Não sei! Não é bem assim, quando estou escrevendo é que vem a inspiração, quando estou andando de carro, de repente a idéia vem, às vezes vem quando estou no banheiro.... hoje mesmo vieram umas ideias, que eu já esqueci quais eram, por isso é importante andar com um caderninho para não esquecer. É de repente que vem a inspiração.

Qual mensagem o senhor deixaria para seus leitores?
Não vou deixar mensagem, não sou mais pastor. Quem dá mensagem é pastor.

Por que o senhor não é mais pastor?
Por que não há liberdade.

Como a literatura influenciou sua juventude?
Não influenciou, infelizmente, só fui conhecê-la de verdade aos 40 anos.

¹:. O que o Taoísmo chama de não-ação é, na verdade, uma ação sem intenção, uma ação não intencional. É uma ação que não pressupõem intenção, mas, nem por isso, não representa o não agir. Ou seja, não-ação significa realizar as coisas com naturalidade, sem engenhosidade, sem excesso de predeterminação, sem especulação.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostaria de comentar? Fique a vontade!

Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget