quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Cantata de natal em Alterosa

Natal combina com muitas coisas, tais quais: luz, família, música, presente, sem deixar de lado, é claro, o seu momento reflexivo que leva os corações a estarem quebrantados, sensíveis ao próximo e a Deus. Nesta atmosfera Alterosa recebeu um presente que tem tudo haver com natal: um musical que fez a luz de Cristo brilhar através da reflexão sobre sua história.
Um coral formado por membros das mais variadas idades da Igreja Presbiteriana Independente apresentou-se em quatro momentos e locais diferentes como no Bairro do Cruzeiro, Pça Benedito Valadares, no Templo Presbiteriano e Distrito do Cavacos levando a música erudita mais próxima das pessoas.
Além de sensibilizar os espectadores, o que só a arte musical consegue, o tema “nascimento do Salvador” levou a todos que apreciaram a cantata a sentirem uma motivação interna para valorizar e buscar a presença de Deus em suas vidas. A delicadeza com que as canções penetraram ouvidos e corações deixou evidente o quão sereno é o agir da força divina no nosso espírito que, na sua essência, só deseja o encontro fascinante com o Espírito Santo.
Além disso, o grupo que compôs o coral viveu momentos antagônicos e complementares de trabalho pesado à satisfação por vencer um desafio. Contudo, o que é o cansaço, medo do inesperado, timidez, diante da superação, do trabalho em equipe e da disciplina adquirida? Para esse grupo que tanto se esforçou e até se sacrificou em prol do musical a lembrança mais marcante que ficará para o resto de suas vidas é a de o quanto cresceram como pessoas nesse ínterim de ensaios e apresentações.
 Todos agradecemos pela oportunidade de crescimento cultural e espiritual que a Cantata O Amor Nasceu possibilitou. Desejamos ardentemente que mais projetos como esse nasçam do coração de Deus para o coração de Alterosa.

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Projeto Sensações Literárias traz prêmio para Alterosa MG

Professora: Fabiana de Oliveira Ribeiro

O Projeto Sensações Literárias, postado e comentado neste blog é campeão na Região Sudeste como modelo de ação educativa no concurso "Eu amo educar", de criação das Editoras Ática e Scipione.
Foram selecionadas 5 ações de relevância educativa, uma para cada região do Brasil e o projeto em execução em Alterosa, na Escola Bolivar Boanerges da Silveira, pela Prof. Fabiana de Oliveira Ribeiro foi escolhido.



Festival Sensações Literárias em 25 de novembro de 2011

O Festival foi o encerramento do Projeto Sensações Literárias que aconteceu desde o início do ano na Escola Estadual Bolivar Boanerges da Silveira, em Alterosa. Aconteceu no cine paroquial e foi um momento de alto nível cultural em Alterosa, no qual quatro peças de teatro foram apresentadas: Morte e Vida Severina, Juiz de paz na roça, Todo e Ninguém e Auto da Barca do inferno. Tiveram também apresentações dos curta-metragens feitos pelos alunos ao longo do ano de 2011. Os jovens presentes aprenderam que é possível se divertir e descontrair por meio de programações saudáveis como as que a Arte proporciona. Foi ótimo!

veja o vídeo que mostra algumas cenas do que foi o Projeto Sensações Literárias no ano de 2011:



                                            



Todas as fotos do Festival:


Avaliação dos alunos participantes  das atividades

 3ºB
(Peça: Juiz de paz na roça- Martins Pena)
“Eu aprendi que não devemos abaixar a cabeça diante de uma dificuldade e sim seguir em frente.”   Michael
“Aprendi como é importante ler um bom livro e  trabalhar em grupo. Fiquei muito orgulhoso do que fizemos e espero que o trabalho feito esse ano motive os futuros alunos do terceiro ano.” Willian
“ Esse projeto deu nos oportunidade de mostrar nossos talentos e mostrou que todos somos capazes, basta querer. Perdi minha timidez o que permitiu minha auto confiança.” Jaqueline Carolina
“Aprendi a deixar a timidez de lado” Ana Mara
“Com esse projeto aprendi a superar minha vergonha, meu medo, percebi o quanto a união de todos é importante e mesmo tendo alguns que não combinavam, na hora de fazer os teatros, deixaram suas diferenças de lado.” Tatiana
“Aprendi a superar desafios, perder o medo, a timidez, a trabalhar em conjunto e que somos capazes e tudo.” Ana Cristina
“Aprendi que eu posso fazer o que quiser que serei capaz, pois há pessoas que acreditam em mim como minha professora, que nos mostrou que mesmo em meio à dificuldade nós podemos fazer um bom trabalho. Esse ano foi um ano diferente, com mudanças e não as aulas chatas de sempre.” Luana
“Eu aprendi que podemos fazer muito se a sala se unir e fazer um trabalho em equipe.” Althieres
“Quando eu cheguei a esta escola eu não gostei, porque da escola que eu vinha não tinha projetos assim, mas depois o grupo e as reuniões para gravar tornaram o trabalho divertido. O 4º bimestre foi melhor. Foi boa a experiência de participar desse projeto, no qual todos participaram com entusiasmo. Foi um desafio superado por todos. A maior lição foi a UNIÃO e AJUDA  dos alunos e professor. Os alunos e professora aqui em Alterosa são muito criativos, esforçados. Aprendemos de maneira divertida.” Ana Paula Albano
Pude desenvolver várias capacidades, tais como liderança, adaptar roteiros, edição de vídeos, assim como a paciência em situações diversas.” Dhiordan
“Durante o ano nos esforçamos para fazer bons trabalhos. Aprendi a me soltar e a trabalhar melhor em equipe. O último trabalho foi o mais difícil, pois a sala inteira tinha de colaborar. Foi difícil, mas valeu muito a pena.” Jaqueline Apª
“o projeto foi um bom incentivo para interessarmos pela Literatura, pois tínhamos de ler livros e transformar as histórias peças de teatro. Aprendemos que devemos fazer as atividades em conjunto vencendo as diferenças.” Daiane

 3ºC
(Peça: Morte e vida severina - João Cabral de Melo Neto)
“Houve grande  empenho e superação desde o início do ano. Os livros antes desconhecidos, passaram a fazer parte da minha vida, nunca os esquecerei. Sempre que eles forem citados, lembrarei dos teatros que eu e outros colegas participamos, o que foi uma forma de aprendizagem divertida. “Menino de engenho” e “Morte e vida Severina” foram grandes desafios, principalmente por serem ao vivo. Em “Senhora” e  “Vidas secas” foram gastos vários dias de gravações, acordamos cedo, procuramos figurinos específicos para cada teatro.
Meu maior desafio foi em “Vidas secas”, onde fui a personagem principal, o bruto Fabiano.
Agradeço a todos que ajudaram nos teatros, alunos de outras salas, vizinhos entre outros.
Superação e solidariedade, perda da timidez estiveram em todos os teatros.
Foi uma experiência inesquecível.” Amanda
“Aprendemos  a cooperar uns com os outros. O teatro auxiliou muito para reduzir minha introversão e timidez e diminuiu meu medo, bloqueio de me apresentar em público. Eu me senti muito bem no palco.” Ayla
“Continuar, mesmo quando nós pensamos que não conseguimos.” Isabela
“Sou capaz” Michele
“Nem tenho palavras para dizer o quanto tudo valeu a pena, sem dizer, ainda, que será uma ótima recordação desta etapa da minha vida.” Milena
“Limitações podem ser vencidas e a união faz a força. Aprendi histórias de livros que jamais leria, não tenho palavras para dizer o quanto  aprendi. Muito obrigado!”  Diego
Ler é preciso e faz bem” Glaciele
“Tudo isso será inesquecível!” Josiele
“Aprendi a corrigir erros que nem sabia que tinha, uma forma fácil de decorar textos, gerando imagens em minha mente e que existem pessoas que reconhecem nossos esforços e sabem nos motivar. Obrigado, Fabiana!” Igor
“o projeto ajudou a unir a sala” Gislaine
“conheci a história de vários livros” Ana Claudia
“aprendemos e nos divertimos ao mesmo tempo” Priscila Domingues
fiquei mais desinibida, antes eu tinha vergonha até mesmo de apresentar trabalho na escola.”  Maryelle
“nunca tinha  feito nada relacionado a isso.  Ajudou-me a descontrair, perder o medo e vergonha diante de muitas pessoas. Agora sei o quanto é difícil lidar com as pessoas e como o professor tem trabalho. Parabéns, professora Fabiana, por ter se empenhado nesses trabalhos e por não ter medido esforços para seu projeto valer a pena!!!” Gustavo

“fazendo os teatros eu consegui entender as histórias e obter aprovações nos vestibulares, isso me ajudou muito.” Caroline
aprendi a ter conhecimento sobre livros que se dependesse de mim eu nunca iria ler. Gostei, pois foi uma forma diferente de aprendizado.” Weber







1ºC

André, como Dinato
 (Peça: Todo Mundo e Ninguém - Gil Vicente)




“...a Literatura não é só mais uma matéria que ajuda a construir meu futuro, mas sim uma matéria que passou a fazer parte da minha vida e hoje é minha matéria preferida.”Kamila Siqueira

“O projeto fez com que nós jovens aprendêssemos literatura de uma forma diferente e interessante.”
André Luís

“Aprendi muito sobre o que é ser responsável, companheira, trabalhar em grupo, aceitar críticas e o mais importante: com esta aula eu venci a vergonha.”Juliane Silva

“Eu nunca gostei que as pessoas ficassem me olhando falar, mas com o teatro tive de enfrentar isso e acabei gostando. Aprendi que temos de experimentar coisas novas.”Fernanda Pereira

“Melhoramos a habilidade de falar em público e percebemos que é divertido aprender assim.”
Sebastião Moura

“Eu não sabia que participar de um teatro era tão divertido. Aprendi a me soltar mais. Espero participar de mais. O Festival foi um dia inesquecível.” Viviane Silva
 

"No começo do ano eu não estava nem aí só brincava, mas quando surgiu o Projeto Sensações Literárias despertou algo em mim que eu não esperava, me fez ver o mundo diferente e prestar mais atenção nas aulas.”
Thaís Terra
“Como o próprio nome diz, foi uma Aprendi que a vida não é feita de coisas fáceis, mas com barreiras que podemos atravessar.”          Franciele Fernanda Franciele Fernanda Franciele Fernanda
grande “Sensação”.

“nunca imaginei que um simples teatro nos traria uma mensagem tão linda e importante para a vida. Ao mesmo tempo que ela é engraçada, é também uma lição de vida.”            Ana Luiza Ramos


Todo Mundo e Ninguém

“foi espetacular a alegria de superar a vergonha. Foi muito legal este ano artístico”
Milena Soares

“o simples fato de eu estar na peça me ajudou a ter mais responsabilidade
Wesley Andrade







“Eu tinha muita vergonha de falar em público e com esse projeto perdi o medo e agora consigo me expressar melhor.”
Poliana

Aprendi muito sobre a cultura, que é uma coisa muito interessante e que antes eu não conhecia.”
Karina Pereira


“Aprendi a observar a arte de um jeito mais bonito. Ainda não perdi a vergonha, mas quero perder um pouco. Os teatros deixaram a matéria mais fácil.”Kátia Albano

“Eu aprendi coisas demais. Antes eu achava bobagem, mas hoje eu quero participar de mais teatros, não vejo a hora de começar o ano novo para participar de outro. Tudo que aprendi não consigo falar, só consigo sentir.”
Paulo Henrique


“Minha maior sensação foi ver as pessoas lá em baixo olhando para nós com um olhar de surpresa. Aprendi que tudo pode ser superado, até a nossa vergonha.”
Amanda Silva


Dinato e Belzebu(Milena)

“Eu aprendi muito e me diverti também, criei mais afinidade com meus colegas. Descobri novas histórias com os livros lidos. O teatro Todo Mundo e Ninguém, foi o mais incrível, eu pensava que não tinha coragem de aparecer no palco com várias pessoas me olhando, mas me apresentei.”
Santiago

“A mensagem do teatro ensinou lições para meu dia-a-dia, para minha vida inteira.”Viviane Esther

“Eu não tinha capacidade de aprender a ouvir, interpretar, com os teatros aprendi a fazer tudo isso com a imaginação.”
Alexandre Ribeiro

aprendi a fazer textos melhores e gostar de teatro.”
Mariane Albano





1º A
(Peça Auto da Barca do Inferno- Gil Vicente)


“foi pra mim uma lição de vida, com  a peça aprendi que a vida não é só curtição, que basta arrepender dos erros que dá tempo de correr atrás do que é melhor para minha vida”
Adriele Cristina

“Eu aprendi que temos de gostar das pessoas do jeito que elas são e que não temos o direito de julgar pela aparência. Se cometemos erros e nos arrependermos, iremos para o céu.”
Helder Gomes

“Aprendi que devemos ajudar uns aos outros e a prestar atenção nos mínimos detalhes de um livro.”
Franciele Silva

“Aprendi que temos de ser solidários e que devemos saber escolher bem nossas atitudes e arrepender dos erros para que no dia do juízo possa entrar na barca do céu.”
Danielle Passos

“As pessoas têm de deixar as diferenças de lado e incentivar uns aos outros. Aprendi que devo falar: eu quero, eu posso, eu sou capaz.”
Karlene Batista

“no começo eu não estava gostando, achava uma bobeira, mas os teatros foram ficando cada vez mais interessantes, então entendi que fazer teatro é legal, divertido e cultural.”
Elaine Lima

“este projeto  me ajudou a gostar mais dos livros e trabalhar em grupo.
Carolina Cabral

“Aprendi que a partir do momento em que você entra no palco e vê todas aquelas pessoas o olhando deve deixar toda a vergonha de lado e dedicar-se o máximo”
Viviane Araújo

“Aprendi que muitas vezes não prestamos atenção em nosso talentos e também aprendi a trabalhar em grupo”
Leonara Santos

“Aprendi o verdadeiro sentido da vida”
Ariane Nepomuceno

“ aprendi que é preciso encarar nossos medos, expor nossas ideias para o mundo.”
Henrique Prado

“aprendi que Deus nos deu uma missão aqui na terra: fazer o que Ele manda”
Gisele Oliveira

“aprendi que a união ajuda a vencer a timidez. O mais marcante foi ver todos de mãos dadas no final, pois enquanto as pessoas estiverem de mãos dadas as armas estarão no chão.”
Jéssica Aparecida

“Gostei de fazer o teatro, porque antes eu tinha muita vergonha, agora eu quero fazer muitas peças.”
Rafael Ney

“Eu aprendi muita coisa...
1º: mudou totalmente minha vida;
2º: foi o melhor projeto de 2011;
3º: todos dedicaram, mostrando a capacidade de cada um.”
Amanda Silva

“aprendemos a trabalhar em grupo, ouvir o próximo e respeitar as diferenças.”
Jeanne Santos

“não devemos julgar alguém antes de conhecê-la, pois as aparências enganam.”
Ana Carolina Teodoro

“aprendi que educação e arte devem estar lado a lado num ambiente escolar.”
Róger Chagas

“eu tenho muita vergonha de falar em público, agora eu perdi um pouco dela.”
Maximiliano
“eu aprendi que a leitura pode levar nossa imaginação a lugares que que ninguém pode explicar. Esse projeto ajudou o nosso mundo a ficar mais culto.”
Maiara Moreira

“foi uma experiência muito importante, pois na vida temos de superar todos os nossos medos.”
Camila Fernandes





terça-feira, 8 de novembro de 2011

Professores de Alterosa

Parabéns, professores, por seu importante trabalho na sociedade!

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Areado sedia Seminário de Ciências Bíblicas




Areado sedia Seminário de Ciências Bíblicas

Nos dias 14 e 15 de outubro, a cidade de Areado foi palco de uma edição do Seminário de Ciências Bíblicas, realizado pela primeira vez em uma cidade do interior do Brasil. Efetuada há mais de uma década, a iniciativa, da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), visa contribuir para a ampliação do conhecimento sobre o Livro Sagrado. Para isso, reúne palestras que abordam aspectos sobre tradução da Bíblia e sua história, bem como a aplicação de seus ensinamentos em diferentes setores sociais, na igreja, na família e na escola, entre outros. Na edição em Areado contou com cerca de 180 participantes.

Organizados desde o ano 2000, esses encontros já alcançaram milhares de pessoas. A edição, que aconteceu na Igreja Presbiteriana Independente de Areado, teve cinco painéis, além de espaço para uma sessão de perguntas e respostas.

O grande destaque do curso ministrado foram as palestras proferidas pelo Dr. em Novo Testamento Vilson Scholz, um dos tradutores da Bíblia para a Nova Tradução na Linguagem de Hoje, trabalho que vem sido feito nos últimos 30 anos.

Vale ressaltar algumas afirmações sobre o Livro que é o mais traduzido e lido de todos os tempos. Regra de fé e de vida dos cristãos, a Bíblia é lida, pregada, discutida e vivida. Sua interpretação deve levar em consideração as distâncias cronológica, geográfica e cultural, enfatizando alguns requisitos básicos a serem atendidos para se interpretar as Escrituras Sagradas, entre os quais acreditar que a Bíblia é a Palavra de Deus. Além do contexto: histórico, gramatical, teológico e prático.

Contudo, a maior discussão que os leigos levantam sobre a Bíblia, diz respeito a sua veracidade e fidelidade aos textos originais. Escrita em hebraico, aramaico e grego, é uma coleção de livros que ficou pronta há mais ou menos dois mil anos. Se hoje os textos originais são traduzidos, cabe perguntar: Como esses textos foram preservados? Com ajuda das Ciências como a paleografia, arqueologia e crítica textual, é possível comprovar que a Bíblia foi transmitida, desde o tempo dos profetas e apóstolos, até os dias de hoje.

Por fim, o curso finalizou-se com amostras de como a modernidade do mundo digital com suas novas tecnologias e mídias vêm contribuindo para a transmissão e estudo do texto bíblico. Um bom exemplo é a criação da Bíblia Digital Glow e a Biblioteca Digital Libronix.

A SBB é uma instituição que tem como maior objetivo divulgar as Escrituras Sagradas no mundo. Hoje, ela se encontra presente em mais países do globo que a própria ONU, distribuindo Bíblias e demais publicações semelhantes através de seus vários projetos sociais, que incluem Bíblia em Braile, Bíblias na tradução em mais de 40 línguas indígenas ou Bíblia nos hospitais e presídios entre outros. A SBB semeia a Palavra que transforma vidas.

Fabiana de Oliveira Ribeiro

Dr. em Novo Testamento Vilson Scholz, um dos tradutores da Bíblia para a Nova Tradução na Linguagem de Hoje

sábado, 8 de outubro de 2011

ESCOLA ESTADUAL BOLIVAR BOANERGES DA SILVEIRA É DESTAQUE



ALTEROSA – Tem sido muito repercutido pela mídia o baixo desempenho dos alunos do final do Ensino Médio em avaliações como o Enem, por exemplo, que mede as habilidades alcançadas pelo estudante ao longo da sua vida escolar. Tais resultados apenas refletem o defasado sistema educacional brasileiro, que aponta prioridades para o estudante, que passam longe das verdadeiras necessidades que um futuro profissional precisa para desempenhar seu trabalho e também uma verdadeira cidadania.


As más políticas educacionais aliadas à desvalorização dos docentes e desestrutura familiar cada vez mais têm distanciado o jovens do desejo de empenharem-se nos estudos. No entanto, entre tantas más notícias no meio educacional, a Escola Estadual Bolivar Boanerges da Silveira, única de Ensino Médio no município de Alterosa conseguiu destacar-se, mesmo com tantas dificuldades enfrentadas pelas escolas.


No ranking das escolas estaduais que fazem parte da micro região da AMOG, a citada escola ficou em terceiro lugar no desempenho no Enem 2010, com uma diferença mínima em relação ao segundo colocado.


Essa conquista é resultado de um incansável trabalho da equipe pedagógica da escola, que desafia seus próprios limites na tentativa de oferecer o melhor ensino possível a juventude alterosense. Que esses resultados possam motivar ainda mais os jovens da cidade a estudar e valorizar a escola e professores que têm.


Posição no Ranking nacional:


4320º -   São Sebastião do Paraíso- E.E. Benedito Ferreira – média de pontos: 582,82


5111º- Guaxupé – E.E. Dr. Benedito Leite Ribeiro – média: 572,32


5195º - Alterosa – E.E. Bolivar Boanerges da Silveira – média: 571,33


6028º - Botelhos- E.E. João de Souza Gonçalves – média: 563,09


6234º - Conceição da Aparecida – E.E. Pr José A. Panucci- média: 561,24


6343º - Monte Belo – E.E. Frei Levino – média: 560,34


6616º - São Sebastião do Paraíso – E.E. Ana Cândida de Figueiredo – média: 557,83


6723º- Arceburgo – E.E. Cel. LucasMagalhães – 556,97


7145 –Guaxupé – EE Dr André Cortez – 554,08


7553º - Bom Jesus da Penha – EE Cel A. Domingos Ribeiro- 551,62


7676º - Nova Resende – EE Prof. Caio Alburquerque – 550,77


7803º - Jacuí – EEProf. Maria Leonor Nasser – 549,76


8195º - S.S. Paraíso – EE. Paula Franssinetti – 547,46


8395º - Areado – EE. João Lourenço – 546,19


8497º - Guaranésia – EE. Alice Autran – 545,58


8529º - Itamoji – EE. José Soares de Araújo – 545,4


8564º - Muzambinho – EE. Prof. Salatiel deAlmeida – 545,21


9595º - Monte Santo de Minas – EE.Américo de Paiva – 539,06


11920º - S.S Paraíso – EE. Clovis Salgado – 526,88


13323º - Cabo Verde – EE. Prof. Pedro Saturnino Magalhães – 519,98


14450º - Botelhos – EE. Afonso Romão de Siqueira – 513,91


16391º - São P. da União – EE. Cel . João Ferreira Barbosa – 201,98

sábado, 24 de setembro de 2011

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Festa na terra e céu


Enquanto bocas de fumo e bares são abertos todos os dias em cada cidade, enquanto catedrais seculares no Velho Mundo estão sendo fechadas, muitas vendidas para tornarem-se cassinos e danceterias, merece destaque aquilo que vai na contra mão do mundo atual. Foi bonito participar no Distrito de Cavacos da inauguração da 1ª  Igreja Presbiteriana naquela localidade.
Sábado 10 de setembro,  a comunidade do Divino Espírito Santo foi abençoada com uma nova casa de Deus, que trará conforto e suporte a muitas famílias ajudando as áreas de educação e social. A iniciativa de oferecer suporte espiritual no distrito partiu de uma parceria feita entre as igrejas presbiterianas independentes da Conceição da Aparecida e Alterosa, que deverão revezar-se nos trabalhos ali realizados. A Igreja Presbiteriana Independente existe a 107 anos e sempre foi conhecida pela força do seu trabalho leigo, (trabalho realizado por membros discentes da Igreja). O trabalho leigo se divide em segmentos, como Ação Social e Secretária da Família. O trabalho de ação social é hoje o que conhecemos como trabalho diaconal, que dá assistência à comunidade em geral, membros e não membros da Igreja, como realização de projetos das Igrejas locais, como doação de cestas básicas a famílias carentes e etc. O trabalho da Secretaria da Família é realizado entre Adultos com a Coordenadoria Nacional de Adultos, Jovens com a União da Mocidade Presbiteriana Independente, Adolescentes e Crianças,como realizações de congressos, acampamentos, para comunhão, educação e discipulado da Igreja em nível local, regional e nacional.
Valho-me do dito comum, regado da sabedoria popular: “ensina a criança a orar e não precisará punir os homens” para concluir: cada escola ou igreja aberta em uma cidade é sinal que pelo menos alguns de seus cidadãos terão oportunidade de serem salvos da selvageria que tem dominado a sociedade.




































segunda-feira, 29 de agosto de 2011

O que a Literatura é capaz de despertar nos jovens?


Hoje em minha aula de Literatura coloquei-me a pensar em como podemos nos envolver entrando nos contextos literários mais cultos que enriquecem nosso saber.
Enquanto minha professora explicava sua matéria, eu me encontrava em plena sensação de aconchego me envolvendo de tal modo com meus pensamentos que cheguei a pensar que ideias transbordariam de minha cabeça.  
Sentia-me em pleno êxtase mental, pois quando nos aprofundamos em certas frases, textos e poemas nossos pés criam asas, não simples asas como as dos pássaros são, mas asas que nos fazem ultrapassar as barreiras do universo, nos transportando para um mundo no qual podemos mandar e desmandar. Esse mundo tem o nome de "imaginação" e quando começamos a relatá-lo em qualquer superfície escrevível, não são só simples rabiscos, mas as mais exuberantes obras que saem deste mundo, onde sonhadores expressam escrevendo o que não conseguem se expressar falando.
Quando nos expressamos das mais profundas lacunas de nossas almas não é como uma simples ideia que surge repentinamente e do mesmo modo que surge se esvaece, são palavras que soam em nossos ouvidos como as mais belas e inigualáveis melodias já compostas e que exprimem resumidamente nossos sentimentos, os quais já mais irão desaparecer, sempre estarão presentes mesmo que de modo impercepto, mas sempre guardados no coração.
                                                                                              André Luis Terra Lima 1ºC.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

PROJETO SENSAÇÕES LITERÁRIAS 2


A Literatura em vídeo
Dando sequência aos meus planos “maquiavélicos” de mostrar aos meus alunos que a Literatura é interessante desafiei meus alunos do 3º ano do ensino médio a transformarem obras do Romantismo brasileiro em curta-metragens. O resultado foi surpreendente, 10 vídeos super criativos, que foram produzidos a partir de leituras, pesquisas, redação de roteiros, elaboração de figurino e planejamento de cenário.

Caros alunos, estou satisfeita com a resposta que vocês deram a minha proposta. Saibam que além de conhecer muito bem obras clássicas da nossa Literatura, vocês desenvolveram e trabalharam habilidades que serão muito úteis às suas vidas profissionais e pessoais. Não tenho dúvidas que a cada dia vocês estão ficando mais preparados para encarar uma entrevista de emprego, expor suas opiniões, interpretar o dia a dia e confiantes em suas próprias capacidades. PARABÉNS, VOCÊS BRILHARAM!

Quer assistir aos curta-metragens 2011?


A manhã do "Oscar" aconteceu dia 04 de agosto com apresentação dos curta-metragens produzidos pelos alunos e seguida de seção de cinema com o maravilhoso filme Sociedade dos Poetas Mortos.


Confira os vencedores do Oscar 2011:
Categoria Melhor Edição:
A Moreninha
Categoria Melhor Cenário:
Iracema
Categoria Melhor Atuação:
Gustavo

Categoria Melhor Roteiro:
Encarnação e Iracema

Categoria Melhor Figurino:
Senhora
Avaliação dos alunos

 
"Aprendi que a literatura pode ser uma forma legal de atrair os jovens. Esses trabalhos mostram que ler pode ser divertido."
Jaqueline Apª de Ávila 3ºB

"Aprendi mais sobre a história de vários livros, inclusive o meu que era Senhora e também me diverti com os filmes que ficaram bem engraçados e bem feitos"
Ana Cláudia Oliveira 3ºC

"Trabalho em equipe é muito importante"
Kamila Lima 3ºB

"O conhecimento literário é muito importante, assim como o trabalho em equipe, expressar e liderar"
Sttela Pereira Silva 3ºC

"Aprendi a me expressar melhor e atuar."
Michele 3ºC

"Eu aprendi muita coisa boa. Só assim sabemos do que somos capazes. Nascemos para isso."
Ana Paula dos Reis Silva 3ºB

"Aprendi que não devemos ter vergonha e que podemos superar qualquer coisa, até a nossa timidez."
Michael Batista da Silva 3ºB

"Aprendi que é importante trabalhar em equipe e um ajudar o outro."
Jhonatan Navais 3ºB

"Aprendi que não devemos ter vergonha e podemos vencer até nossa timidez."
Elisa Mara S. Reis 3ºB

"Aprendi que devemos deixar a timidez de lado e que ler é muito divertido. Somos artistas."
Ana Mara de Oliveira Silva 3ºB

"Editar vídeo dá muito trabalho."
Weber Carlos de Lima 3ºC

"Conheci várias histórias clássicas da Literatura Brasileira, isso é muito importante."
Milena Martins de Ávila 3ºC

"Apesar do trabalho que dá para fazer nós aprendemos que dá para divertir lendo. Nascemos para ser atores."
Luana Silva 3ºB

"Aprendi que é muito importante trabalhar em grupo."
Jefferson O Silva 3ºB

"Trabalhar em equipe é muito importante."
Althieres Wellington 3ºB

"Aprendemos que devemos trabalhar em grupo."
Gustavo Pacini 3ºC

"Para ter um bom trabalho tem de haver um bom desempenho da equipe toda."
Igor Fernando dos Santos 3ºC

"Muito legal"
Lucas João Batista 3ºB

"Aprendi a ter mais união, por que com união as coisas dão mais certo."
Taynara Helena Campos 3ºB

"Aprendi a viver com os colegas, perder a timidez e  que todos são capazes de interpretar."
Jéssica 3ºB

"Aprendi que as pessoas aprendem novas coisas a partir da leitura."
Ana Paula Cabral 3ºB

"Aprendi que é importante saber trabalhar em equipe."
Lucas Amaral 3ºC

"Quando temos um objetivo devemos correr atrás dele, apesar de tudo conspirar contra você, foi o caso de Cirino e Inocência."
Priscila Domingues 3ºC

"Aprendi sobre épocas, costumes e roupas totalmente diferentes da nossa. Até a cultura indígena.
Ana Cristina Cabral 3ºB

"Aprendi a ver os livros clássicos de uma maneira diferente."
Priscila Oliveira Paccini 3ºC

"Basta querermos e vamos conseguir."
Glaciele Apª da Silva 3ºC

"Aprendi como trabalhar melhor em grupo e acredito que todos nós conseguimos entender melhor um pouco de cada livro."
Isabela Apª 3ºC

"Aprendi a trabalhar em grupo. Houve muita cooperação de integrantes de outros grupos, que foram solidários e nos ajudaram de várias formas."
Ayla Inês Ávila Mendonça 3ºC

"Sempre podemos alcançar o desejado, basta lutar com determinação e força de vontade."
Josiele Araújo 3ºC

"Que todos somos capazes."
Vanessa Santos 3ºC

"Que quando um casal se ama, deve ir em frente para  conquistar seu amor."
Marielle Andrade 3ºC

"Aprendi que devemos trabalhar em grupo."
Filipe Michel Alves Caetano 3ºC

"A superar desafios, principalmente a timidez. Também reconheci a solidariedade das pessoas que nos ajudaram na realização do trabalho."
Amanda Aparecida O Silva 3ºC

"Aprendi a trabalhar em grupo, formatar e editar vídeos."
Aélcio 3ºB

"Aprendi a trabalhar em equipe, trabalhar com uma época, estilo bem diferentes. Com isso acabamos nos tornando mais cultos."
Jaqueline C. 3ºB

"Aprendi a interagir com os colegas do grupo, a me expressar e me sentir mais à vontade diante dos outros que irão ver o trabalho apresentado."
Cristiane de Fátima Luiz 3ºC



PROJETO NA ÍNTEGRA:

PROJETO SENSAÇÕES LITERÁRIAS 2
A Literatura em vídeo

1.IDENTIFICAÇÃO:

PROFESSOR RESPONSÁVEL: Fabiana de Oliveira Ribeiro

DISCIPLINA: Língua Portuguesa

TÍTULO: SENSAÇÕES LITERÁRIAS 2 - A Literatura em vídeo

DURAÇÃO:  de 04 de maio a 04 de julho

LOCALIZAÇÃO: Escola E. Bolívar Boanerges da Silveira, Alterosa, MG

EXECUÇÃO: Professora Fabiana de Oliveira Ribeiro e alunos dos  3ºs anos “B” e “C”

APOIO: Bibliotecárias, pedagoga Catarina

PÚBLICO ALVO: alunos dos 3 ºs anos “B”, “C”

PROBLEMATIZAÇÃO: Desinteresse pela leitura, especialmente dos clássicos da literatura nacional e inibição, medo de expressar-se principalmente em público, o que compromete o exercício da cidadania.

2-JUSTIFICATIVA:

De acordo com as sugestões complementares de trabalho dos Conteúdos Básicos Comuns de Língua Portuguesa, a oralidade é um componente de ensino igualmente importante aos demais. Prevê-se, então, a caracterização comparativa da conversação espontânea com o debate, a entrevista oral e a entrevista escrita, a conferência e o artigo escrito, palestras e relatos noticiosos, textos literário-artísticos e declamações, encenações.
A organização de uma unidade temática com os gêneros da conversação espontânea, debate regulado, entrevista televisiva, entrevista escrita e artigo de opinião permitiria trabalhar o discurso interativo no contínuo oral—escrito, transitar entre gêneros privados e públicos, desenvolver práticas de recepção e de produção e selecionar para estudo tópicos gramaticais e estilísticos mais usuais do discurso interativo menos ou mais monitorado.
Tão importante quanto, o uso da tecnologia como instrumento de ensino-aprendizagem é imprescindível à escola da era virtual e devido ao interesse que desperta nos educandos, por que não usar dessa estratégia para atrai-los para o conhecimento? Ao se trabalhar o cinema e fazê-lo, proporciona-se aos alunos uma oficina de saberes e sabores.

3.OBJETIVO GERAL:

Reproduzir e apresentar clássicos da Literatura Brasileira através da linguagem do cinema, expressando as características da sociedade brasileira e da linguagem oral.

4. OBJETIVOS ESPECÍFICOS

•Despertar o interesse e hábito de leitura;
•Desenvolver habilidades de comunicação oral e escrita;
• Desenvolver a capacidade de interpretação e de produção de diferentes gêneros de texto;
• Saber identificar a finalidade de diferentes gêneros de texto;
• Reconhecer as diferenças entre os textos literário e informativo;
• Saber reconhecer e selecionar bons textos, textos de qualidade;
• Desenvolver habilidades de expressão em diversas linguagens;
• Saber avaliar a adequação da linguagem à situação comunicativa;
•Compreender a língua como fenômeno cultural, histórico, social, variável, heterogêneo e sensível aos contextos de uso;
•Conhecer o conjunto de conhecimentos pragmáticos, discursivos, semânticos e formais envolvidos no uso da língua;
•Compreender o texto literário como lugar de manifestação de ideologias;
•Conhecer temas e motivos recorrentes na Literatura Brasileira;
•Assumir uma postura crítica frente a posicionamentos enunciativos dos textos literários;
•Caracterizar formas de composição de textos literários de diferentes épocas;
•Conhecer a obra de autores representativos da literatura brasileira do passado e da atualidade;
•Conhecer concepções de autor e de fazer literário do passado e da atualidade;
•Reconhecer o caráter metalingüístico dos textos literários que falam sobre o poeta e seu fazer artístico;
•Relacionar diferentes concepções de autor e de fazer literário a diferentes contextos históricos e literários;
•Conhecer formas de representação da vida social e política na literatura brasileira do passado e da atualidade;
•Relacionar diferentes abordagens da vida social e política brasileira a diferentes contextos históricos e literários;
•Relacionar diferentes formas de representação e concepções do amor e da mulher, dos índios e negros a diferentes contextos históricos e literários;
•Reconhecer na perpetuação de determinados discursos sobre o amor e/ou a mulher, índios e negros o apagamento de outras vozes;
•Reconhecer, em textos apresentados, conflitos e formas de resistência do feminino e de diferentes etnias da população brasileira (índios, negros.);
•Desenvolver espírito de coletividade;
•Valorizar o convívio social;
•Desenvolver potencialidades criativas;
•Desenvolver habilidades corporais e vocais;
•Ampliar seus conhecimentos corporais e vocais;
•Estimular a imaginação;
•Obedecer a regras;
•Expressar-se através de suas potencialidades corporais e vocais;
•Reproduzir a realidade artisticamente, utilizando-se de materiais diversos inclusive a sucata;
•Mostrar iniciativa;
•Expor suas idéias em grupo;
•Transpor cenicamente imagens literárias, utilizando-se do corpo, voz e ações;
•Interagir em público, em contextos mais ou menos formais, como falante ou como ouvinte;
•Usufruir do gosto estético das produções literárias;
•Relacionar as informações dos textos verbais com outras expressas em outras linguagens;
•Desenvolver  a  competência  de  planejar  o  que  se  vai  escrever,  considerando  a intencionalidade, o interlocutor, o portador e as características do gênero videográfico;
•Desenvolver a competência da escrita e reescrita dos próprios textos (e contribuir com os dos outros), no que se  refere a diversos aspectos do  texto: concisão, coerência, ortografia, etc;
• Desenvolver a competência de planejar uma ação em grupo, envolvendo a comunidade;
• Desenvolver a habilidade de articular recursos para a execução das tarefas previstas;
•Desenvolver competências para ampliar o “olhar” sobre si mesmo e sobre o mundo  em que vive (educar o olhar para diferentes percepções da realidade);
• Desenvolver competências e habilidades para uma leitura crítica das diferentes  mídias existentes;

5. DESENVOLVIMENTO:

1ª Etapa: exposição da proposta de trabalho e sorteio das obras literárias entre os grupos de  alunos;
2ª Etapa: leitura dos livros pelos alunos, pesquisa e montagem de texto no gênero dramático pelos grupos;
3ª Etapa: assistir um filme de qualidade cinematográfica e fazer sua resenha;
4ª Etapa: ensaios, montagem de cenários e figurinos;
5ª Etapa: gravação das encenações sobre as obras literárias;
6ª Etapa: a manhã do “Oscar”  com eleição:
Melhor Edição;
Melhor Cenário;
Melhor Atuação;
Melhor Figurino;
Melhor Roteiro.
Observação: as etapas 2, 4 e 5 foram realizadas fora do horário escolar.

6. CULMINÂNCIA:

Manhã do “Oscar”, momento em que os grupos apresentarão seus curta metragens e serão eleitos os melhores em cada categoria.

7. AVALIAÇÃO:
Os alunos serão avaliados individualmente e em grupo sempre observando seu comprometimento, participação efetiva, colaboração tanto com seu próprio grupo quanto com os demais, criatividade e esforço.


Assista aos curta metragens através: http://fabianadeoliveiraribeiro.bolgspot.com/ 

8. BIBLIOGRAFIA:

KATO, Mary A. O aprendizado da leitura. São Paulo: Martins Fontes, 1985.

MARCONDES, Beatriz, MENEZES, Gilda, THOSHIMITSU, Thais. Como usar outras linguagens na sala de aula. 4.ed. São Paulo: Contexto, 2003. (Como usar na sala de aula).

MARTIN, Marcel. A linguagem cinematográfica. São Paulo: Brasiliense, 1990.

SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DE MINAS GERAIS. Conteúdo Básico Comum – Português (2005). Educação Básica - Ensino Médio
Ocorreu um erro neste gadget
Ocorreu um erro neste gadget